Artigo Abril 2021 – Liderança Situacional® – Situação

Curso Online Liderança 6.0 ministrado por Rodrigo Lapenta de Col Gomes
31 de março de 2021
Curso Online de Capacitação com Ramiro Novak Filho na ACIJ
22 de abril de 2021
Mostrar Tudo

Situational – Artigo Abril 2021

Olá! Dando continuidade aos artigos sobre o modelo Liderança Situacional®, lembramos que líderes situacionais demonstram quatro habilidades:

  • Efetuam diagnóstico da situação;
  • Com base no diagnóstico, adaptam seu comportamento;
  • Comunicam-se adequadamente;
  • Acompanham o desenvolvimento dos seus liderados.

Para efetuar o diagnóstico, os líderes analisam os indicadores: produtividade, maturidade e situação. Já falamos sobre produtividade (resultados alcançados a partir dos objetivos estabelecidos) e maturidade, que considera as vertentes competência (conhecimento, experiência e habilidade) e motivação (confiança, comprometimento e vontade de fazer). Neste artigo, vamos abordar o indicador situação. Boa leitura!

O líder situacional e a importância da situação

A definição de Liderança Situacional®: “É o processo de exercer influência sobre o comportamento das pessoas para atingir objetivos em determinadas situações.” (Dr. Paul Hersey) já nos diz muito sobre a importância que o modelo atribui à situação. O líder situacional está sempre atento ao que está acontecendo e, a cada mudança, realiza um novo diagnóstico (capacidade de avaliar e entender a situação) e adapta seu comportamento, adotando ações mais adequadas ao momento, aquelas com maiores chances de eficácia. Assim, ajuda seus liderados e times a alcançarem os resultados esperados.

O modelo Liderança Situacional® é atual e eficaz exatamente por ser situacional. Somos seres biopsicossociais. Nosso potencial é composto por características biológicas (físicas); nossa ação é influenciada por aspectos psicológicos (desejos, motivações e sentimentos) e pelo ambiente social (como cultura, regras e legislações). Estes três aspectos formam um todo e caminham juntos. Tudo que acontece à nossa volta nos atinge de alguma maneira. Por isso somos indivíduos, porque somos indivisíveis.

Para o modelo, o indicador situação considera:

  • Ambiente físico – local de trabalho, troca de layout, de cidade, de estado ou de país;
  • Ambiente psicossocial – tudo que acontece com as pessoas antes delas chegarem ao trabalho (filhos, cônjuge, contas, frustrações, arrependimentos) e quando elas chegam ao trabalho (liderados, chefe, chefe do chefe, indicadores, cobranças, clientes, fornecedores, novas tarefas, prazos curtos, mudanças na estrutura organizacional, entre outros);
  • Novos métodos, ferramentas e rotinas de trabalho.

O modelo é eficaz e atual porque é situacional.

Alterações em um ou mais destes aspectos nos afetam, gerando dúvidas e inseguranças. A pandemia pela qual estamos passando nos mostra isso. Ela acarreta mudanças em todos os aspectos, o que exige análise do cenário, flexibilidade e rapidez nas adaptações necessárias. Em relação ao ambiente físico, muitos de nós fomos colocados para trabalhar em casa de uma hora para outra. Na empresa, precisamos adotar protocolos de segurança e outras medidas, o que significa praticamente um novo onboarding. Ao ambiente psicossocial, somamos o distanciamento social, os cuidados nos locais e transportes públicos, ansiedade e o medo de sermos contaminados (se houver pessoas doentes próximas) e de contaminarmos outras pessoas e parentes. Novos métodos de trabalho hoje fazem parte da nossa rotina: as plataformas de videoconferência e as reuniões online. Aprendemos a conciliar as rotinas de casa com as demandas do trabalho. Líderes aprenderam a gerenciar equipes remotas.

A importância do acompanhamento

A pandemia não acabou. Estamos vivendo um momento delicado que requer muitos cuidados e atenção. As mudanças e os fatores apontados anteriormente podem influenciar a capacidade de concentração, a motivação e acarretar queda de produtividade. Temos sempre que considerar em que condições emocionais as pessoas estão trabalhando.

A vida agora acontece nas telas. Estamos fisicamente distantes, mas a proximidade nunca foi tão importante. O momento pede a intensificação do acompanhamento. Ressaltando que a habilidade de acompanhar está ligada às metas e ao aspecto emocional das pessoas. Em momentos como este, o apoio socioemocional proporcionado pelo acompanhamento do líder conta muito.

Líderes situacionais estão atentos aos sentimentos, expressões e reações de seus colaboradores e demonstram disponibilidade para conversar e apoiá-los em suas necessidades. Vá além das reuniões de equipe. Telefone, dedique tempo e demonstre interesse genuíno pelas pessoas. Mantenha-se aberto ao diálogo, relacione-se mais, aproxime-se mais, ampare mais, cuide mais do seu time.

Líderes têm sempre grandes desafios, ainda mais em momentos de crise pela qual passamos atualmente: é preciso cuidar das pessoas, de sua saúde física e mental, manter o moral da equipe, preservar a cultura da empresa viva, comunicar sempre e demonstrar proximidade do time, deixando claro que todos podem contar com seu apoio. Tudo isso cuidando também dos resultados.

 

Lideranças fortes e bem capacitadas fazem toda a diferença!

Ser um líder situacional é isso: conhecer e entender as pessoas, seus momentos e necessidades e adequar seu comportamento para ajudá-las, acompanhando-as e valorizando seus acertos!

Em 2021, invista em você e na sua equipe!

Quer conhecer melhor o modelo da Liderança Situacional®, como desenvolver as quatro habilidades, a atenção aos indicadores e incrementar sua eficácia de liderança? Entre em contato conosco!

www.situational.com.br