Artigo Janeiro 2021 – CLS do Brasil

A Equipe CLS do Brasil deseja um Feliz 2021!
16 de dezembro de 2020
Diretoria Nordeste do CLS do Brasil com Henrique Aguiar
8 de janeiro de 2021
Mostrar Tudo

Artigo Janeiro 2021 – CLS do Brasil

Olá! Neste primeiro artigo do ano, faremos uma retrospectiva do que publicamos sobre Liderança Situacional® em 2020! Bem-vindo à 2021 e boa leitura!

Por que investir na formação de líderes?

Liderar é influenciar. O líder eficaz influencia as pessoas ao seu redor. Para criar e manter uma organização de alto desempenho, é necessário uma liderança forte, que contribui para alavancar os resultados desejados. Ainda mais atualmente, num momento que exige tanta flexibilidade e poder de adaptação, com demandas de uma força de trabalho diversificada, atuando remotamente, em mercados competitivos, globais e digitais em rápida evolução.

O modelo Liderança Situacional®

O modelo Liderança Situacional® é muito conhecido no Brasil e no mundo inteiro por sua versatilidade, praticidade e aplicação imediata. Desenvolve nos líderes as habilidades necessárias para que conduzam suas equipes com eficácia, engajando e influenciando adequadamente seu comportamento, gerando mudanças e aumento de produtividade. Independente da idade, nível, e até da localização do colaborador. Nestes tempos de distanciamento social e trabalho remoto, o modelo é atual e eficaz.

Líderes situacionais praticam quatro habilidades:

– Efetuam diagnóstico da situação;

– Com base no diagnóstico, adaptam seu comportamento;

Comunicam-se adequadamente;

Acompanham o desenvolvimento dos seus liderados.

 

As quatro habilidades do Líder Situacional

  1. Diagnóstico

Fazer um diagnóstico é realizar uma análise da situação. O diagnóstico é uma “fotografia” e fornece uma visão abrangente do cenário que queremos influenciar. Para o modelo, a habilidade é a capacidade de avaliar e entender a situação. Possibilita mais agilidade para reconhecer os aspectos que merecem ajustes e melhor direcionamento de recursos.

Ao realizar o diagnóstico, os líderes situacionais reconhecem e valorizam os aspectos positivos da situação que está sendo analisada. O que está dando certo e devemos fortalecer? O que devemos enfatizar e continuar fazendo? Quais as lições aprendidas?

Com o diagnóstico, o líder refina sua percepção sobre a situação e se prepara para empregar as outras habilidades, usando todo o potencial do modelo.

  1. Adaptabilidade

Adaptabilidade é a habilidade de adequar o comportamento ao que foi diagnosticado. Assim, feito o diagnóstico, o líder ajusta seu comportamento à situação, ou seja, emprega o estilo de liderança mais adequado. Desta forma, o modelo responde a uma pergunta clássica:

“Qual o melhor estilo de liderança?”

Para o modelo, o melhor estilo de liderança é aquele que melhor se adapta às necessidades do colaborador, o que mais o ajudará a atingir os resultados esperados. Ao usar suas habilidades de diagnóstico e adaptação, líderes incrementam a eficácia de liderança e contribuem para a construção de ambientes de trabalho mais saudáveis, positivos e formando equipes de alta performance!

  1. Comunicação

Veja o que os estudos sobre comunicação revelam:

A maior parte da comunicação (55%) é feita pelo corpo (discurso não verbal); 38% pela voz (como emitimos as palavras, a entonação) e apenas 7% pelas palavras. Ou seja: nos comunicamos o tempo todo, ainda que não tenhamos consciência disso. Para o modelo, comunicação é a capacidade de interagir com os outros, de forma que eles entendam e aceitem.

É momento de fazer da tecnologia uma aliada e as ferramentas de videoconferência ajudam muito. Devemos aproveitar todo o seu potencial para explicar, negociar e acompanhar metas, clarificar dúvidas, alinhar expectativas e objetivos, até termos a certeza de que a outra pessoa entendeu e aceitou o que queremos dizer.

Comunicação aproxima!

     4. Acompanhamento

Como manter um time remoto unido, engajado e motivado? Acompanhar é fundamental. A habilidade está ligada às metas e ao aspecto emocional das pessoas: suas emoções, expectativas e dificuldades. O apoio socioemocional proporcionado pelo líder conta muito. Numa reunião, reparou que há alguém mais triste? Converse individualmente, pergunte como está, como está lidando com o distanciamento social. Dedique tempo e demonstre interesse genuíno pela pessoa. Mostre proximidade, apesar do distanciamento físico. Interaja mais, aproxime-se mais, ampare mais, cuide mais do seu time!

Acompanhar fortalece o vínculo e a relação de confiança entre líder e liderado.

Indicadores

Indicadores são aspectos aos quais o líder deve estar atento para elaborar o diagnóstico e ajustar seu comportamento, de acordo com a situação. Os três indicadores são: produtividade, maturidade e situação. Em 2020, falamos sobre produtividade.

Para o modelo, produtividade traduz-se por desempenho e resultado apresentados. É importante deixar claro o que exatamente o liderado deve fazer e a entrega esperada. O conceito de meta SMART auxilia a esclarecer as etapas necessárias para a conclusão da meta, que é a atividade, tarefa ou trabalho mensurável que a pessoa deve realizar.

Escrever as metas no formato SMART facilita a vida do liderado e a do líder durante as reuniões de acompanhamento. Também poupará tempo e evitará retrabalho.

Ser um líder situacional é isso: entender as pessoas, seus momentos e adequar o estilo de liderança para ajudá-las, acompanhando-as e valorizando seus acertos!

O modelo é eficaz e atual porque é situacional.

Em 2021, invista em você e na sua equipe!

Quer conhecer melhor o modelo da Liderança Situacional®, como desenvolver as quatro habilidades, a atenção aos indicadores e incrementar sua eficácia de liderança? Entre em contato conosco!

www.situational.com.br